Archive for agosto, 2004

  • Update no I SNECG

    Date: 2004.08.31 | Category: alegria, amizade, encantamento | Response: 0

    Meninos e meninas, a abertura deste Simpósio foi um dos momentos mais alegres do qual já fiz parte, foi muito emocionante ver aquela quantidade de gente querendo escutar a mim e a meus colegas, querendo discutir a escrita e a história do medievo, querendo se conhecer, conversar.

    Todos cobertos de boa vontade um com o outro, os representantes consulares presentes todos fizeram alegres e elogiosos discursos, as primeiras palestras interessantíssimas, tudo funcionando como deveria, os pequenos problemas que surgiram causado pelo inusitado aumentodo interesse pelo evento.

    E, no final da abertura, Paola nos deliciando com sua gaita galesa, o som grave/agudo do fole tomando conta do silêncio profundo da sala.

    Foi PERFEITO.

  • Presentes especiais

    Date: 2004.08.30 | Category: amizade, amor, Asas de Borboleta, espírito, mãe, vida interior | Response: 1

    Existem alguns presentes que a gente não esquece nunca na vida. Meu primeiro presente assim foi uma passagem de avião.

    Antes que alguém estranhe, uma explicação. Já falei aqui, em vários posts, que perdi minha mãe para o câncer aos 21 anos de idade, depois de cinco anos de muita luta. O que não lembro se já mencionei aqui é que ela passou seus últimos dois anos de vida em Recife, e eu longe dela aqui no Rio. Quando ela entrou no que os médicos chamam de ‘estado terminal’ – quando sua alma começou a se preparar para abandonar seu corpo cansado – ela ficava uma semana de cada mês comigo aqui em casa, para as sessões de quimioterapia. Foi o período em que ficamos mais juntas, eu dormia no quarto com ela, conversávamos feito duas amigas adolescentes, até dormir.

    Mas a última semana de vida ela passou no hospital em Recife onde finalmente descansou. Logo que baixou hospital, meu pai ligou para o Rio e avisou a mim e a meu irmão que ela estava com pneumonia. Para alguém no estado em que ela estava, isto era a última chamada do vôo, e eu sabia. Implorei para meu pai que me mandasse buscar. Eu PRECISAVA estar com ela. Meu pai, provavelmente querendo me poupar, pediu que eu aguardasse notícias. Meu irmão assistia a tudo calado. Quando me viu desligar o telefone e soluçar, ele perguntou se papai ia mandar a passagem. Disse que não e comecei a ligar para os parentes próximos. Ele saiu sem falar mais nada.

    Dois ou três telefonemas depois, volta ele. Com aquela passagem de que falei no início deste texto, comprada com seu salário. Meio envergonhado, pois meu irmão é muito reservado, ele me põe a passagem na mão e diz: “vai, Sue, eu não tenho coragem, mas eu sei o quanto é importante para você.” Importante? Dezoito anos depois, ainda tenho guardado num lugar bem protegido o canhoto do bilhete. Foi a coisa mais bonita que meu irmão podia ter feito, por mim e por ela.

    Muitos anos passaram, e eu tive de substituir de muitas formas em casa a mãe que partira, e isto foi um impedimento concreto de seguir muitos sonhos. Não é uma reclamação, pois se a opção fosse novamente colocada à minha frente, novamente faria tudo o que fiz. Mas é uma constatação realista. Uma das coisas que ficou guardada na gaveta era meu gosto e alegria em escrever. Fiquei muda, por 15 anos. Até que recebi meu segundo presente inesquecível. E este, a pessoa que deu sequer sabe que me deu um presente mais precioso que todas as barras de ouro do mundo. Ele me deu minha voz de volta, com um gesto simples, mas eloquente, de enviar meu primeiro texto para publicação virtual. Um escritor por quem eu tinha o maior respeito e admiração considerou um texto meu bom o suficiente para ser publicado, me tirou de um casulo de anos e me deu incentivo para abrir estas Asas de Borboleta. Alexandre, você nem sabe, mas você me devolveu minha vida, que estava perdida de mim. Este é o segundo presente que jamais vou esquecer. Obrigada.

    O terceiro presente inesquecível foi um xale. Um agradecimento pela amizade, pela lealdade, pela empatia. Um dos gestos mais bonitos que me fizeram, mas não quero falar dele, me dá vontade de chorar.

    Quando eu já considerava que tinha esgotado minha quota de presentes inesquecíveis, quando eu estava fundo num buraco de tristeza, pensando até mesmo em calar novamente minha voz, que não é alta nem é bela como a de outros escritores, mas é fonte direta de força, de felicidade para mim, num mundo onde é raro encontrar fontes destas duas coisas, outro milagre aconteceu. Uma cadeia de pequenos acontecimentos me levou delicadamente pela mão até um blog que pertence a uma pessoa que entende das pequenas coisas que eu entendo: lealdade familiar; caminho diário de trabalho e de luta; vitória conquistada devagarinho, centímetro a centímetro, no meio de muito sofrimento; um coração cheio de amor e de dor. Um poeta.

    Eis que um outro horizonte se abre onde não parecia haver mais nada, e o novo me devolve o antigo, e agora minha vontade é escrever, e produzir, e deixar estar. Levar esta voz até onde ela conseguir alcançar, para me sentir viva outra vez. Rogério, apesar de seu lindo presente estar escrito em meu coração, eu achei que ele se perderia na janela de comentários, e deveria estar aqui. Obrigada, poeta, pela ajuda que você nem sabe que deu. É sempre assim.

    ASA DE BORBOLETA

    Queria dedicar-te um canto
    Nesta terna e longa viagem
    Através da poesia.
    Queria dar-te uma flor
    Que jamais seque algum dia.
    Pois ser feliz é esquecer…
    A amargura do momento
    E só assim a vida é sublime
    Bonita ao mesmo tempo
    Como este mar
    Que nos separa
    Nesta noite amena e calma
    Silêncio! Que o meu luar
    Vai beijar a tua alma.

    Rogério Simões

  • Plágio

    Date: 2004.08.26 | Category: Asas de Borboleta | Response: 0

    Dona Glória, perigosa não é a lucidez, é a cartinha que a senhora vai receber de alguns advogados, se não corrigir imediatamente o que fez. Apague o texto ou o publique na íntegra, com créditos e link para cá.

    Amigos, tem gente achando que os textos do Asa podem ser copiados e publicados – com cortes mutilantes – em seus próprios blogs. Tem gente querendo voar com minhas asas, veja só… e não é nenhuma adolescente, que poderia ter feito isto com uma certa dose de inocência, e sim uma senhora que regula de idade comigo, e deveria saber se comportar melhor.

    Nossa, parece que este agosto é mesmo o mês da canalhice. Ainda bem que está acabando.

    Ah, apesar de Dona Gloria não fazer a gentileza, eu faço. Quem quiser comprovar o plágio do post CONVITE, de 18 de fevereiro de 2004, vá ao blog http://pereira.gloria.blog.uol.com.br/

    ADENDO AO POST: Dona Gloria já me escreveu, pedindo desculpas e retirando o post.

    “Sue, Reconheço o erro…li teu texto e ele se encaixava tanto com o que eu queria que uma pessoa lesse, pq traduz bem um momento que passo. Eu anotei teu endereço ia hj te mandar um post avisando que copiei e pedindo pra linkar, errei me descupe…”

    Sim, Dona Glória, está desculpada. Mas tome mais cuidado com os textos dos outros… pode usar, se linkar e não adulterar.Ela foi até boazinha, vocês não acham?

  • Irish Blessing

    Date: 2004.08.26 | Category: alegria, amizade, esperança, luta | Response: 0

    On the eve of meeting a bunch of Irish-loving folks, here’s an Irish blessing…

    May those who love us love us.
    And those that don’t love us,
    May God turn their hearts.
    And if He doesn’t turn their hearts,
    May he turn their ankles,
    So we’ll know them by their limping.

  • Date: 2004.08.17 | Category: Asas de Borboleta, vida interior | Response: 0

    Tem gente que transforma sua dor em fel. Eu procuro transformar minha dor em doçura. Mas o Rogério, ahh… Rogério transforma sua dor em beleza pura.

    Poemas de amor e dor

    MEIO HOMEM INTEIRO

    Meia selha

    De lágrimas.

    Meio copo

    De água

    Meia tigela

    De sal

    Meio homem

    De mágoa.

    Meio coração

    Destroçado

    Meia dor

    A sofrer.

    Meio ser

    Enganado

    Num homem

    Inteiro a morrer.

    Rogério 1974

  • A amizade que se oferece

    Date: 2004.08.14 | Category: amizade, amor, Asas de Borboleta, vida interior | Response: 0

    “… o pensamento simples, a intenção inocente, a sua transformação natural em coisa muito grande, a capacidade de sustentar brava e alegremente esta coisa muito grande, a ausência da perda (ou a sua transformação em algo fértil e ainda maior e mais belo) e a perenidade.” (Alfredo Votta)

    Esta frase foi um soco no estômago. Visitava eu o blog de meu soberano e amigo Imperador da Svolonésia, e de seu texto suave vem um gancho que me agarra o coração e torce com força. Porque Alfredo, das profundezas de sua sensibilidade, consegue muitas vezes dizer o que todos nós sentimos com a exatidão do explorador viajado, que mapeou cada pedaço do caminho. There and back.

    Falava ele de uma sonata de Schubert, mas falo eu de algo que acontece de vez em quando comigo. Esta frase descreve EXATAMENTE o tipo de amizade que ofereço, e o fato de eu oferecer coisa tão grande confunde e assusta as pessoas de intenções menores. Já fui chamada de carente, já fui chamada de sufocante, já fugiram de mim, já me rechaçaram com violência. Eu já me recolhi, ferida e perplexa, sem entender o motivo de tanta ruína onde só fora oferecido o bem. Já cheguei a questionar a estrutura mesma da minha personalidade, debruçando sem pena sobre ela e investigando-a com o cuidado de médico legista de seriado americano.

    Mas a questão é esta: não posso, não quero e não devo aleijar minha alma, cortando-lhe as pernas e os braços, para entrar em espaços onde ela não cabe. Eu posso, sim, e ofereço, a todos por quem tenho afeto, a força de minha lealdade, a maciez e o calor do meu abraço, o ouvido atento e o coração aberto. Ofereço mesmo os espaços abertos para o vôo, e sugiro que tentemos ver quem chega mais alto. Ofereço o riso e o choro sinceros, a gargalhada solta.

    Mas eu não vou, nem mesmo por quem amo muito – e eu amo MUITO – transformar uma sonata de Schubert num samba de uma nota só.

  • Simpósio

    Date: 2004.08.13 | Category: alegria, amizade | Response: 0

    Queridos todos,

    Eu tenho estado, e vou estar, absolutamente absorvida neste projeto do grupo de estudos ao qual pertenço,o Brathair

    Estou trabalhando, junto com meu caro amigo Prof. Dr. Álvaro Alfredo Bragança Junior, na coordenação geral deste simpósio, e está parecendo que vai ser um evento muito bacana.

    No entanto,tudo na vida tem um preço a se pagar, e o meu neste caso é a absoluta falta de tempo e energia para produzir textos que não estejam relacionados ao simpósio. Sempre que eu puder vir aqui e dar um beijinho em cada um, prometo que venho. Mas, se eu sumir, não estranhem muito.

    Estão, é claro, todos convidados a comparecer à Faculdade de Letras da Universidade Federal do Rio de Janeiro, nos dias 30 e 31 de agosto e 01 e 02 de setembro, onde me encontrarão descabelada, esbaforida e muito feliz.

    Eis o programa do evento…

    SEGUNDA-FEIRA, 30 DE AGOSTO DE 2004

    08:00h – Recepção de Material e Inscrições Novas

    09:00h – Sessão de Abertura do Simpósio presidida pela Prof. Dra. Edione de Azevedo Trindade, Diretora da Faculdade de Letras da UFRJ e Representantes Consulares da Alemanha, Irlanda, Islândia, Noruega e Suécia

    09:45h – Conferência Plenária I – Entre Druidas e Monges da Irlanda Prof. Dr. João Lupi (UFSC)

    10:30 às 10:45 h – Intervalo

    10:45 às 12:00 h – Mesa Redonda I – História e Literatura: cruzamentos interdisciplinares – Coordenador Prof. Dr. Ricardo da Costa (UFES) Prof. Dr. Ricardo da Costa (UFES)- O conhecimento histórico e a compreensão do passado: o historiador e a arqueologia das palavras
    Profa. Dra. Andréia Cristina Lopes Frazão da Silva (UFRJ)– Reflexões sobre o diálogo entre a Literatura e a História no estudo dos textos medievais

    12:15 às 13:15h – Sessão de Comunicações Celtas I – Celtas e Cristianismo – Coordenadora: Grad.Tatiana Bina (USP/MAE)
    O Casamento Divino – Grad. Tatiana Bina (USP/MAE)
    São Columbanus: o propagador do monasticismo celta – Grad. Tatiana Machado Boulhosa (USP)
    São Patrício e a evangelização da Irlanda: uma análise da Confessio. Habilidade missionária ou milagres? – Grad. Dominique Vieira Coelho dos Santos (UFG)

    12:15 às 13:15h – Sessão de Comunicações Germânicas I – Os Germanos da Antigüidade a Carlos Magno – Coordenadora: Profa. Dra. Arlete José Mota (UFRJ)
    Um Estudo sobre a Germania de Tácito – Profa. Dra. Arlete José Mota (UFRJ)
    Solidariedade e Desacordo na Política Germânica da Europa Pós-carolíngia – Prof. Dr. José Ernesto Pimentel Filho (UFPB)
    Carlos Magno, o Pai da Europa – a formação do Sacro Império Romano Germânico – Grad.Thiago das Chagas Santos (UNESP/Araraquara)

    TERÇA-FEIRA, 31 DE AGOSTO DE 2004

    08:00 às 09:00 h: Mini-Cursos
    Mini-Curso 01 – Arqueologia Viking – Prof. Dr. Johnni Langer (FACIPAL)
    Mini-Curso 02 – Do país das fadas ao país das letras: as narrativas celtas – Prof. Me. Adriana Zierer (UEMA) & Profa. Me. Luciana Campos (UNESP)
    Mini-Curso 03 – As noções de Império e imperador no Sacro Império Romano Germânico – Prof. Dr. Moisés Romanazzi Tôrres (UFSJ)

    09:00 – 09:15h: Intervalo

    09:15 – 10:15h Conferência Plenária II – Contatos Culturais na Bretanha Romana – Prof. Dr. Pedro Paulo A. Funari (UNICAMP)

    10:15 – 10:30h – Intervalo

    10:30 – 12:00h: Mesa Redonda II – Aspectos Mágico-religiosos da Cultura Celta – Coordenador Prof. Dr. João Lupi (UFSC)
    Prof. Dr. João Lupi (UFSC) – As Monjas Irlandesas
    Profa. Me. Luciana de Campos (UNESP/ SJ Rio Preto)A Herança de Dana: Aspectos da magia feminina celta
    Grad. Vitor S. Lares (UFF) – A Imortalidade da Alma: o outro mundo céltico, mito e rito funerário

    10:30 -12:00h: Mesa Redonda III – História e Literatura como leituras do Sacro Império nos séculos XII a XIV – Coordenador Prof. Dr. Moisés Romanazzi Tôrres (UFSJ)
    Prof. Dr. Francisco José Silva Gomes (UFRJ) Os conflitos dos poderes universais: o Papado e o Império (Século XIII)
    Prof. Dr. Moisés Romanazzi Tôrres (UFSJ) O providencialismo do Império Universal segundo Marsílio de Pádua
    Prof. Dr. Álvaro Alfredo Bragança Júnior (UFRJ) A Poesia Sentenciosa de Walther von der Vogelweide como proposta de retrato social: ficção ou realidade?

    12:00 -12:15h – Intervalo

    12:15 -13:15h: Sessão de Comunicações Celtas II – Cultura celta – entre a oralidade e a Literariedade – Coordenador: Prof. Me. Filippo L. Olivieri (UFF)
    Prof. Me. Filippo L. Olivieri (UFF) Os Druidas e a Transmissão Oral entre os Celtas
    Cláudio Quintino (escritor e representante da Druid Network) Mitos-Sociedade-Paisagem: um trinômio para a real compreensão da Cultura Celta
    Grad. Victor André Ribeiro (FAFI) Cultura Folclórica vs. Cultura Clerical no Ocidente Medieval: as narrativas de origem celta e suas representações culturais

    12:15 – 13:15h: Sessão de Comunicações Germânicas II – Germanos e Sacro Império: fontes histórico-literárias – Coordenador Prof. Me. Vinicius Cesar Dreger de Araujo (UnG)
    Prof. Dr. Vinicius Cesar Dreger de Araújo (UnG) Existiu um projeto imperial de História? Otto de Freising e a Chancelaria de Frederico I Barbarossa

    Pós-Grad. Marlon Ângelo Maltauro (FAFI) O Simbolismo da Floresta na Völsunga Saga

    12:15 – 13:15h: Sessão de Comunicações Germânicas III – Aspectos da cultura germânica nos Contos de Fada, na Música e na Literatura – Coordenadora Profa. Sylvia Maria Trusen (UFPA – PUC/RJ)
    Profa. Sylvia Maria Trusen (UFPA – PUC/RJ) Marienkind, ou do veto à Língua
    Pós-Grad. Andréa Lívia de Souza Zierer (UFF) A Imagem da “Mãe Má” no conto Branca de Neve, dos Irmãos Grimm
    Grad. Daniel Rodrigues de Castro (UFRJ) As influências do compositor alemão Richard Wagner na obra do poeta nicaragüense Rubén Darío: a busca de uma nova poesia através da ópera Lohengrin (1847) e do poema El Cisne de Prosas profanas (1896)

    12:15 – 13:15h Sessão de Comunicações Germânicas IV – Germanos e Escandinavos: Identidade Cultural – Coordenador Prof. Dr. Johnni Langer (FACIPAL)
    Grad. Everton Schwartz da Silva (FACIPAL) A construção da imagem dos povos germânicos
    Grad. Jonas Mamlak (FACIPAL) A imagem dos guerreiros germânicos no imaginário contemporâneo
    Grad. Wanilton Tadeu Dudek (FAFI) Temor viking: teorias da expansão escandinava durante a Idade Média

    QUARTA-FEIRA, 01 DE SETEMBRO DE 2004

    08:00 às 09:00 h: Mini-Cursos

    09:00 – 09:15h: Intervalo

    09:15-10:15h Conferência plenária III – Da “Germania” à península Hispânica: Aspectos do deslocamento, do assentamento e do poder na trajetória dos germanos – Profa. Dra. Leila Rodrigues da Silva (UFRJ)

    10:15 -10:30h: Intervalo

    10:30 – 12:00h: Painel – A estrutura nominal alemã em textos da história celta

    Coordenadoras:
    Profa. Dra. Maria José Monteiro (UFRJ)
    Profa. Me. Sílvia D. Boger de Melo (UFRJ)

    Autores (Graduandos UFRJ/FL):
    Robson Carapeto
    Fernanda Teleska Kerkhoff
    Danielle Lima
    Fellipe Carauta

    10:30 a 10:45 – Mesa Redonda IV – Celtas e Germanos: História e Ficção – Coordenadora Prof. Me. Adriana Zierer (UEMA)
    Profa. Me. Adriana Zierer (UEMA) – Artur: de guerreiro mítico a rei-perfeito
    Prof. Dr. Ricardo da Costa (UFES) O Conto do Graal (c. 1178-1181) de Chrétien de Troyes e sua mitologia céltica
    Orlando Paes Filho (Escritor) – Angus, o Primeiro Guerreiro: um exemplo de narrativa de ficção no contexto das Ilhas Britãnicas no século IX

    12:00 -12:15h – Intervalo

    12:15-13:15h: Sessão de Comunicações Celtas III – Celtas: entre os mitos e a História – Coordenadora: Profa. Assunção Medeiros (UCAM)
    Profa. Assunção Medeiros (UCAM/ESCM) Processo Tradutório da História Eclesiástica das Gentes dos Anglos: uma introdução à obra de São Beda
    Grad. Cláudio Quintino (escritor e representante da Druid Network) Resgatando os mitos Celtas
    Grad. Daniele Silva de Oliveira (UFRJ) O Mito De Deirdre e o Desvelar De Uma Sociedade

    12:15-13:15h: Sessão de Comunicações Celtas IV – Estudos de cultura celta: da Antigüidade clássica ao século XIV Coordenadora: Profa. Me. Jeanne Cristina Menezes Crespo (UFF)
    Profa. Me. Jeanne Cristina Menezes Crespo (UFF) Celtiberos e Iberos: um estudo comparado acerca das representações nos textos clássicos e dos indícios arqueológicos
    Graduado Ronaldo Salotto da Silveira (FACHA) – O princípio do entrelaçado na estética celta
    Grad. Rafael de Abreu e Souza (UNICAMP) Druidas e Soldados – uma revolta ‘celta’ no primeiro século cristão: novas abordagens ao estudo da Revolta de Boudica
    Grad. Bruno Costa Oliveira (UFES) A relação de soberania entre a Irlanda e o País de Gales no segundo ramo do Mabinogion: Branwen, filha de Llyr

    12:15 – 13:15h Sessão de Comunicações Germânicas V – Temas de Cultura Germânica: o mundo viking e a Inglaterra do século XI – Coordenadora Profa. Me. Ana Denise Fagundes Lacerda (PUCRS)
    Profa. Me. Ana Denise Fagundes lacerda (PUCRS) Uma re-edição do Recitudines Singularum personarum
    Grad. Beatriz Ramos da Costa (UERJ) Santo Olavo – a luta contra a antiga fé

    12:15 – 13:15h Sessão de Comunicações Germânicas VI – O mundo germânico-celta e a literatura medieval: fronteiras histórico-literárias – Coordenador Grad. Diego de F. B. Pereira (UFRJ)
    Grad. Diego de F. B. Pereira (UFRJ) Manifestação do mundo anglo-saxão em Beowulf
    Grad. Ana Gabriela Antunes Ribeiro (UNESP/Araraquara) Do vaticínio ao grunhido – resquícios do mito dos gigantes nas narrativas populares escandinavas
    Grad. Rubens Malcher Froes (IFCS/UFRJ) Bardos e skalds: a tradição oral da narrativa entre os povos celtas e vikings

    QUINTA-FEIRA, 02 DE SETEMBRO DE 2004

    8:00 às 09:00 h: Mini-Cursos

    09:00 – 09:15h: Intervalo

    09:15 – 10:15h conferência plenária IV – Mitos Arturianos – Prof. Dr. Antonio L. Furtado (PUC/RJ)

    10:15 – 10:30h – Intervalo

    A partir de 10.30h: Entrega dos certificados

    10:30 -12:00h: Mesa Redonda V – Religiosidades Germânicas: perspectivas historiográficas e literárias
    Prof. Dr. Ciro Flammarion Cardoso (UFF): Teoria e metodologia para o estudo das religiões germânicas da Antiguidade e da Alta Idade Média
    Prof. Dr. Johnni Langer (FACIPAL): A historiografia das religiões Vikings, De Rudolph Keyser (1854) a Neil S. Price (2003).
    Prof. Dr. Álvaro Alfredo Bragança Jr. (UFRJ): Cristianismo e Paganismo nas fórmulas mágicas em antigo-alto-alemão: para uma discussão histórico-lingüística.

    12:00 -12:15h – Intervalo

    12:15-13:15h: Sessão de Comunicações Celtas V – Traços do mundo mágico celta na literatura contemporânea –Coordenadora: Profa. Dra. Shirley de Souza Gomes Carreira (UNIGRANRIO)
    Profa. Dra. Shirley de Souza Gomes Carreira (UNIGRANRIO) A apropriação do mito de Ceridwen em As Brumas de Avalon, de Marion Zimmer Bradley
    Prof. Dr. Afrânio da Silva Garcia (UERJ-UNESA)A imagística do desejo e da sua interdição nas lendas do rei Artur
    Prof. Dr. Tatiana Alves Soares Caldas (UNESA/UniverCidade) Entre a Deusa e a Bruxa: reflexões sobre o imaginário pagão em Agustina Bessa-Luís

    13:30h: Coquetel de Encerramento

  • Amor a seus pés

    Date: 2004.08.05 | Category: amor, Asas de Borboleta, vida interior | Response: 0

    As pessoas falam em muitos tipos de amor. Eu não acredito nisto, sempre achei que amor fosse uma coisa só. E amor não acaba. Amor é perene. Tem uma pessoa que eu sei que sempre vou amar, apesar de não estarmos mais juntos faz algum tempo. Esta pessoa agora está num momento de sofrimento. Pois apesar da minha vontade ser me jogar aos pés desta pessoa e pedir para sofrer no seu lugar, o bom senso prevalece e eu sei que ele precisa do treinamento, duro o quanto seja. Amado, não fique triste, as coisas começam e acabam, e renascem em outro lugar. Descanse um pouco, respire fundo e siga adiante.

    A música, como eu disse, é para você. Te amo muito.

    As the world falls down
    David Bowie

    There’s such a sad love
    Deep in your eyes, a kind of pale jewel
    Open and closed within your eyes
    I’ll place the sky within your eyes
    There’s such a fooled heart
    Beating so fast in search of new dreams
    A love that will last within your heart
    I’ll place the moon within your heart

    As the pain sweeps through
    Makes no sense for you
    Every thrill has gone
    Wasn’t too much fun at all
    But I’ll be there for you
    As the world falls down
    Falling
    falling down
    Falling in love

    I’ll paint you mornings of gold
    I’ll spin you valentine evenings
    Though we’re strangers till now
    We’re choosing the path between the stars
    I’ll leave my love between the stars

    As the pain sweeps through
    Makes no sense for you
    Every thrill has gone
    Wasn’t too much fun at all
    But I’ll be there for you
    As the world falls down

    Falling
    As the world falls down

Tópicos recentes

Comentários

Arquivos

Categorias

Meta