• Caixas

    Date: 2004.09.30 | Category: amor, Asas de Borboleta, espírito, vida interior | Tags:

    Pessoas sensíveis demais às vezes procuram proteção fechando suas almas numa caixa muito bem trancada, à qual ninguém mais tem acesso. Pode ser uma caixa rica ou pobre, forrada de jornal ou de almofadas aveludadas. Pode ser feita do mais perfumado sândalo entalhado ou do mais duro aço. Não importa, a realidade é que quem está lá dentro sofre da mais profunda solidão.

    Foi de dentro de uma caixa destas, feita de resistente jacarandá e forrada de livros, que eu vi chegar o início da minha adolescência. Eu fui uma pré-adolescente trancada dentro de mim mesma, e eu não sabia sair. Mas Deus nunca me desampara, e Ele mandou um emissário com a chave que eu tinha perdido.

    Um anjo, Stella era um anjo caído. É engraçado como este nome – Estrela – volta e meia surge importante na minha vida, geralmente quando estou chegando em alguma encruzilhada do meu caminho. Pois, “Tia Stella” era uma amiga de minha mãe formada em educação física que reunia pequenos grupos de amigas para aulas de ginástica.

    Minha mãe, sempre preocupada com minha tendência para engordar – o que para ela era a pior herança genética que havia me legado – , e diante da minha recusa categórica de ir para uma academia, convenceu-me a participar de algumas aulas da Tia Stella.

    Ela era uma mulher doce e tranquila por fora, que lutava contra seus demônios interiores. Tinha sua própria caixa, só que forrada de espinhos. Mesmo assim, teve compaixão daquela menina emudecida. Com uma mistura de carinho, paciência, exercícios físicos, palavras de incentivo, conselhos e aulas de expressão corporal, devagarinho abriu a tampa da minha caixa, estendeu a mão e me ajudou a sair.

    Não consigo lembrar de maior gesto de amor que alguém além de minha mãe tenha tido comigo. Se hoje eu escrevo, e algumas pessoas agradecem dizendo que minhas palavras as ajudam, eu tenho de responder que os agradecimentos se devem em grande parte à Stella. Fazem mais de 25 anos que não a vejo, e soube que ela perdeu algumas grandes batalhas contra aqueles demônios, mas venceu algumas também. Espero que tenha conseguido trocar o forro de espinhos de sua caixa por um suave cetim. Eu rezo por isto, porque – se minha mãe me trouxe a este mundo e me fez a pessoa que sou – a Stella me apresentou à vida e me deu as primeiras ferramentas para conquistar minha autonomia. E eu a amo muito, e sou muito agradecida, e serei para sempre.

    A minha caixa continua aqui, a tampa aberta, muitos pequenos tesouros conquistados ao longo destes 40 anos carinhosamente arrumados dentro dela. Ainda me refugio lá dentro em momentos de muita dor. Só que hoje a chave está segura bem firme na minha mão.

    Então, deixo aqui o convite para aqueles que amo e sei que têm suas caixas, alguns deles mal tendo começado as tentativas de sair delas: venham, queridos venham para fora, vale a pena. O mundo é terrivelmente belo e assustador, cheio de aventura e de frieza, de alegria mesclada com perda. Mas há muito tempo eu aprendi que não há coisa alguma tão assustadora que não possa ser enfrentada, se há uma mão estendida esperando pela nossa.

    Minha mão está aqui.

    Hide In Your Shell

    Supertramp

    Hide in your shell cos the world is out to bleed you for a ride
    What will you gain making your life a little longer?
    Heaven or Hell, was the journey cold that gave your eyes of steel?
    Shelter behind painting your mind and playing joker

    Too Frightening to listen to a stranger
    Too Beautiful to put your pride in danger
    You’re waiting for someone to understand you
    But you’ve got demons in your closet
    And you’re screaming out to stop it
    Saying life’s begun to cheat you
    Friends are out to beat you
    Grab on to what you scramble for

    Don’t let the tears linger on inside now
    Cos it’s sure time you gained control
    If I can help you, if I can help you
    If I can help you, just let me know
    Well, let me show you the nearest signpost
    To get your heart back on the road
    If I can help you, if I can help you
    If I can help you, just let me know.

    All through the night as you lie awake and hold yourself so tight
    What do you need, a second-hand-movie-star to tend you?
    I as a boy, I believed the saying the cure for pain was love
    How would it be if you could see the world through my eyes?

    Too Frightening – the fire’s getting colder
    Too Beautiful- to think you’re getting older
    You’re looking for someone to give an answer.
    But what you see is just an illusion
    You’re surrounded by confusion
    Saying life’s begun to cheat you
    Friends are out to beat you
    Grab on to what you can scramble for

    Don’t let the tears… just let me know
    I wanna know… I wanna know you…
    Well let me know you
    I wanna feel you
    I wanna touch you
    Please let me near you
    Can you hear what I’m saying?
    Well I’m hoping, I’m dreamin’, I’m prayin’
    I know what you’re thinkin’
    See what you’re seein’
    Never ever let yourself go

    Hold yourself down, hold yourself down
    Why d’ya hold yourself down?
    Why don’t you listen, you can
    Trust me,
    There’s a place I know the way to
    A place there is need to feel you
    Feel that you’re alone
    Hear me
    I know exactly what you’re feelin’
    Cos all your troubles are within you
    Please begin to see that I’m just bleeding to
    Love me, love you
    Loving is the way to
    Help me, help you –
    Why must we be so cool, oh so cool?
    Oh, we’re such damn fools…