• Date: 2004.12.11 | Category: amor, pai, vida interior | Tags:

    Quando se chega ao ponto de perceber que não se tem mais nada a não ser a si mesma, quando se vê que nada se possui, que não há seguranças, não há o certo e determinado, aí que percebemos que estamos caminhando sobre nossas próprias pernas, numa estrada que é só nossa, e que depende de nós onde vamos chegar.

    Eu escolhi a estrada da gentileza, da doçura, do carinho. Porque é agindo assim que eu me sinto melhor. Não vou aprender a me defender de quem amo, não vou aprender a agredir em autodefesa. Então – que fazer? – vou sofrer quando os que eu amo me agridem, vou sentir quando eles se fecham em autodefesa… porque por mais que eles não acreditem, não há o que temer de mim.

    Eu vou ser obrigada a carregar este coração até o fim de minha vida, e ao cabo dela vou depositá-lo aos pés do meu criador. Tomara que ele ache que seja um presente apropriado, porque mais nada tenho a oferecer.

    I got a name (Jim Croce)

    Like the pine trees lining the winding road
    I’ve got a name, I’ve got a name.
    Like the singing bird and the croaking toad
    I’ve got a name, I’ve got a name.
    And I carry it with me like my daddy did,
    But I’m living the dream that he kept hid
    Moving me down the highway,
    Rolling me down the highway
    Moving ahead so life won’t pass me by.

    Like the north wind whistling down the sky
    I’ve got a song, I’ve got a song.
    Like the whippoorwill and the baby’s cry
    I’ve got a song, I’ve got a song.
    And I carry it with me and I sing it loud
    If it gets me nowhere, I’ll go there proud
    Moving me down the highway,
    Rollin’ me down the highway,
    Moving ahead so life won’t pass me by.

    And I’m gonna go there free…

    Like the fool I am and I’ll always be
    I’ve got a dream, I’ve got a dream.
    They can change their minds but they can’t change me
    I’ve got a dream, I’ve got a dream.
    Oh, I know I could share it if you want me to,
    If you’re going my way, I’ll go with you
    Moving me down the highway,
    Rolling me down the highway,
    Moving ahead so life won’t pass me by.

    Eu tenho um nome

    Como os pinheiros enfileirados nas estradas
    Eu tenho um nome, eu tenho um nome.
    Como o pássaro que canta e o sapo que coaxa,
    Eu tenho um nome, eu tenho um nome.
    E o carrego comigo como fazia meu pai,
    Mas vivo o sonho que ele mantinha encoberto
    Movendo a mim mesma pela estrada,
    Rolando comigo pela estrada
    Levando-me à frente para que a vida não me deixe para trás.

    Como o vento Norte que desce sibilando do céu
    Eu tenho uma canção, eu tenho uma canção.
    Como o pássaro noturno e o choro do bebê
    Eu tenho uma canção, eu tenho uma canção.
    E eu a trago comigo e a canto alto
    Se me levar ao nada, irei para lá com orgulho
    Movendo a mim mesma pela estrada,
    Rolando comigo pela estrada
    Levando-me à frente para que a vida não me deixe para trás.

    E vou até lá livre…

    Como a tola que sou e sempre serei
    Eu tenho um sonho, eu tenho um sonho.
    Eles podem mudar de idéia, mas não podem mudar a mim:
    Eu tenho um sonho, eu tenho um sonho.
    Ah, eu sei que poderia compartilhá-lo se você quiser,
    Se você estiver caminhando na mesma direção, caminho contigo
    Movendo a mim mesma pela estrada,
    Rolando comigo pela estrada
    Levando-me à frente para que a vida não me deixe para trás.