• Date: 2006.10.03 | Category: amor | Tags:

    Amores Zodiacais

    Eu tenho alguns amores que só posso mesmo chamar de amores zodiacais, cada um deles montado firme em seu arquetípico signo.

    Hoje à noite – naquele momento especialmente relaxado em que fechamos os olhos e sentimos o corpo leve e mole ser suavemente carregado para os braços de Morfeu – hoje me enchi de amor aquariano.

    Lembrei das duas Renatas, uma branquinha e sardentinha, a outra morena de longos cabelos… uma com o sorriso resguardado dos que ficam ressabiados pelo sofrimento, a outra com o sorriso aberto e iluminado de criança, e a voz das duas de um suave timbre de menina que sei que terão até serem avozinhas.

    Lembrei da alegria sutil e etérea da Helô, que sorri sempre o sorriso enigmático de alguém que sabe um segredo que o mundo inteirinho ignora. Sorriso sutil e nobre de gato de templo egípcio, que se queda delicadamente imóvel como uma estátua em torno da imagem de Bastet.

    Lembrei especialmente do meu amor aquariano mais maluquinho, aquele que me mandava beijos fazendo biquinho em frente à webcam, e depois partia para alugar castelos na lua… e me contava como irado derramara mostarda marrom, grossa e escura nas coxas da menininha do jardim de infância que momentos antes fora seu amor e sua namorada.

    Esse amor aquariano passou como um pião num redemoinho pelo pátio da minha vida, e jogou, não mostarda, mas uma metafórica pimenta ardida nos metafóricos olhos da minha alma. Metafórica que seja a pimenta, as lágrimas de cá foram bem reais, e acho que as de lá também foram.

    Ele hoje rodopia seu pião maluquinho em outros pátios e outros jardins de infância. Hoje, no entanto, especialmente hoje, antes do sono me vencer, um amor imenso invade, um sorriso maroto rasga a boca e eu lembro de nossas traquinagens. Lembro do amor aquariano maluquinho que me marcou com ferro e com fogo, mas que no fim das contas só deixou mesmo uma lembrança doce, a imagem de uma franja lisa e impaciente e um beijo de biquinho em frente à webcam.

    Nós fomos mesmo terríveis, Pimentinha!

    Beijo de biquinho da Borboleta.