• Date: 2007.07.04 | Category: amor, Asas de Borboleta, esperança, vida interior | Tags:

    Queridos

    O mês de junho foi um mês de trabalho pesado e de muita meditação.
    A vida mudou muito, mais uma das muitas metamorfoses por que passamos.

    De tudo que passei nos últimos anos, segue resumo abaixo:

    Aquilo que sinto, mostro. Daquilo que faço, raramente me arrependo.
    Do que não faço, e acho que devo fazer,
    vem este sentimento de urgência.
    Da vida sei que só levamos o que sentimos.
    Seja amor, seja ódio e amargor.
    Não pretendo encontrar meus pais e ancestrais, na Eternidade,
    sentindo ódio e rancor.
    Não pretendo esquecer nunca de dizer que amo, porque é verdade.
    Eu amo.
    É a minha bênção e a minha sina,
    e é meu presente para quem quiser dele fazer uso.

    Que a Vida seja amena e gentil;
    quando não for, que sejamos nós assim em nosso coração.

    Beijo de Borboleta em cada um