• Date: 2007.09.18 | Category: amor, esperança, minerin-candango, saudade | Tags:

    Não tendo você aqui

    Não tendo você aqui, janto no sofá, sem luzes,
    Olhando a noite andar lentamente pela janela.
    Não tendo seu olhar sobre mim,
    Não tenho vontade de sorrir e a boca mantém-se cerrada.
    Sem seu ouvido atento, que adianta falar?
    Permaneço em silêncio.
    Sem sua mão para segurar,
    A minha permanece espalmada, pedinte, indigente.
    Sem seu corpo para me ninar,
    Permaneço insone até que o cansaço me feche os olhos.

    Aguardar é duro, amado, quando tudo que olho em volta
    Me lembra sua presença ou sua ausência.
    A saudade do que nunca tive virou saudade, apenas.
    Meu coração bate em tempo com as sílabas do seu nome.

    Cole Porter faz cada vez mais sentido…
    Não tendo você aqui,
    É com ele que durmo hoje à noite.

    Night and Day

    Like the beat beat beat of the tom-tom
    When the jungle shadows fall
    Like the tick tick tock of the stately clock
    As it stands against the wall

    Like the drip drip drip of the raindrops
    When the Summer shower is through
    So a voice within me keeps repeating
    You, you, you

    Night and day, you are the one
    Only you beneath the Moon or under the Sun
    Whether near to me, or far
    It’s no matter darling where you are
    I think of you
    Day and night, night and day, why is it so

    That this longing for you follows wherever I go
    In the roaring traffic’s boom
    In the silence of my lonely room
    I think of you
    Day and night, night and day

    Under the hide of me
    There’s an oh such a hungry yearning burning inside of me
    And this torment won’t be through
    Until you let me spend my life making love to you
    Day and night, night and day