• Date: 2007.10.18 | Category: vida interior | Tags:

    Algumas pessoas têm o dom da síntese. Eu, apesar de admirá-las, não sou e não gostaria de ser uma delas, porque adoro me alongar. O Camafunga, entretanto, tem este dom e o utiliza de forma magistral, como no seu post do dia 17, falando sobre sentimento.

    Moço, que lindo, obrigada! Tomo a liberdade de reproduzir aqui:

    Sobre o sentimento…

    Não há letra que acompanhe porque não há musica que acalme.

    Ontem percebi os pedaços de história no reboco envelhecido e as manchas nas paredes como marcas de memória, por isso não as havia pintado, por isso mantinha os descascados como prova de vida. Acho que este é mais um texto que não compartilho com quem de direito, nem sei se alguma vez foi compreendido os sentidos, norte para o tapete da sala, oeste para a luminária do quarto, afinal posição solar boa é a do plexo, agora, assim, janela alguma ilumina adequado, por mais que aberta, mesmo escancarada. Portanto, é chegada hora, nenhuma tinta mudaria a matiz do que se passa, nem massa renova tantas perdas acumuladas.

    Casa nova, é necessário, e silêncio, pois não há letra que acompanhe, nem música que acalme.