• Date: 2007.11.14 | Category: amor, minerin-candango, vida interior | Tags:

    Promessas e Comprometimentos

    Nossos encontros e a maneira que eu penso nele quando não está comigo são tão pontuados por música que eu estou, literalmente, montando um CD com as MP3 todas, descobrindo não muito surpresa que já passaram de noventa músicas… Algumas delas são tão cardinais das direções que meu carinho por ele se desenvolve que eu acabo postando aqui.

    Pois eis que chegou a hora de fazer promessas, de estabelecer parâmetros, de dar os passos para o lado e para trás para que seja possível andar para frente em compasso. Sei que ele, do seu jeito silencioso, está o tempo todo medindo e pensando. Sei que tem medo da distância física, dos problemas todos, do passado de um e de outro.

    Amado, que dizer? Você já sabe o quanto eu te quero…
    Quer tempo? eu espero.
    Quer silêncio? eu calo.
    Quer pisar no freio? eu desacelero.
    Quer saber se eu me adapto? a quase tudo.
    Quer pensar na melhor forma de seguir? Que tal juntos?

    Ah, sabe que mais? Uma música, mais uma vez, já disse tudo.

    Dia Branco
    Geraldo Azevedo / Renato Rocha

    Se você vier
    Pro que der e vier
    Comigo…

    Eu te prometo o sol,
    Se hoje o sol sair,
    Ou a chuva…
    Se a chuva cair.

    Se você vier,
    Até onde a gente chegar,
    Numa praça na beira do mar,
    Um pedaço de qualquer lugar…

    Nesse dia branco,
    Se branco ele for,
    Esse tanto, esse canto de amor
    Oh! oh! oh!…

    Se você quiser e vier
    Pro que der e vier
    Comigo…

    Se você vier
    Pro que der e vier
    Comigo…

    Te prometo o sol,
    Se hoje o sol sair,
    Ou a chuva…
    Se a chuva cair.

    Se você vier,
    Até onde a gente chegar,
    Numa praça na beira do mar,
    Num pedaço de qualquer lugar…

    Nesse dia branco,
    Se branco ele for,
    Esse tanto, esse tonto,
    Esse tão grande amor,
    Grande amor…

    Se você quiser e vier
    Pro que der e vier
    Comigo…